Notícias

Bragança Paulista com o comércio fechado, tem mais casos de Covid que Atibaia com comércio aberto

Por   | 

Verdade seja dita! Como coveiro, Dória está enterrando o comércio de Bragança Paulista. E o pior: parece que o governo estadual quer prolongar a a data. Vi cenas tristes em Bragança: amigos fechando as portas de vez, outros falindo, outros desiludidos. O blog percorreu as ruas da cidade, conversou com comerciantes e a tristeza bate no bolso e no coração da população bragantina. Hoje uma empresária disse ao blog que fiscais reclamam até da porta meio aberta, mas ela se justificou em razão dos 30cm necessários para o ir e vir das necessidades do pet. “Mas eles ficam no pé”, esbravejou.

Curiosamente, a cidade de Atibaia, que conta relativamente com a mesma população, está com menos casos, menos da metade do número contabilizado do total em Bragança. E o comércio, vai muito bem obrigado, todo aberto.

Com a Covid, Bragança Paulista está perdendo a fama de polo regional, uma vez que muitos moradores das cidades no entorno passaram agora a comprar em Atibaia. O difícil é saber se muitos que estão provando o gostinho de morango vão querer retornar para a Terra da Linguiça após essa fase ruim de Covid passar.

Agora verdade seja dita, enquanto Atibaia sofre com um número insignificante de UTIs, Bragança Paulista como cidade sede de região, em especial na Medicina, – isso mesmo – tem quase dez vezes mais respiradores que Atibaia. A prefeitura de Atibaia teve que se socorrer através do aluguel de leitos em Bragança Paulista.

Com relação ao comércio, Atibaia entrou e ganhou na Justiça (em primeira e em segunda instância) o direito em favor do comércio se manter vivo para não morrer. O Tribunal de São Paulo concordou que o comércio pode sim ficar aberto, desde que sob fiscalização redobrada de normas técnicas.

O desembargador relator do caso, é amigo antigo do blog. É o jundiaiense Dr. Claudio Soares Levada, um dos maiores ícones de ética e lisura do Poder Judiciário.

A questão não é relaxar a quarentena. A doença, existe, é uma questão séria de saúde pública, mas a Justiça Paulista considerou na representação da prefeitura, que os comerciantes da cidade não podem morrer de fome. Resumindo a sentença: Ou morre de doença, ou morre de fome, ou pior – morre dos dois. Mais inteligente equilibrar o bom-senso.

Bragança Paulista tem 88 casos confirmados da doença. Atibaia tem 40 casos confirmados.

Atibaia determinou normas rígidas; uso de máscara é obrigatório, álcool gel na porta, distanciamento e número limitado de clientes dentro das lojas: povo feliz!

Fernando Lorenzetti

Jornalista e colunista social. Passou por vários veículos de Imprensa, e atua como profissional de mídia, em redes sociais e no mercado editorial de revista. Por 10 anos assinou a coluna social do jornal Diário do Povo, em Campinas. Trabalhou na revista Metrópole do Correio Popular de Campinas, onde também pilotou o programa de TV " Festa, com Fernando Lorenzetti ", na Band, Rede Bandeirantes de Televisão. O jornalista colaborou com os mais importantes veículos de comunicação do país. Está no Instagran: @lorenzettifernando

Você deve estar logado para comentar Login

Deixe um comentário