Notícias

Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego atende 726 bragantinos com bolsa-auxílio

Por   | 

Ação contribui ainda com a oportunidade de qualificação profissional

Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego atende 726 bragantinos com bolsa-auxílio

Mais empregos para os bragantinos. Essa é uma das prioridades da Administração Jesus Chedid e Amauri Sodré e para auxiliar aqueles que estão em busca de uma oportunidade de trabalho, foi criado há 1 ano, em 15 abril de 2021, o Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego e Qualificação Profissional (Lei Municipal nº 4.781).

Atualmente 726 bragantinos são assistidos pelo programa, cujo objetivo é atender a necessidade temporária de ocupação, qualificação profissional e de renda para trabalhadoras e trabalhadores desempregados, residentes em Bragança Paulista.

Foram lançados dois editais de seleção. No primeiro (fase I) foram selecionadas 453 pessoas e no segundo (fase II), 273 pessoas. Os trabalhos realizados são distribuídos nas diversas Secretarias Municipais.

A Secretaria Municipal de Educação tem 202 atendidos pelo programa trabalhando; na Secretaria da Saúde são 146; na Secretaria de Serviços são 97; na Secretaria de Cultura e Turismo, 55; na Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social são 44; na Secretaria de Desenvolvimento dos Agronegócios, 36; no Fundo Social de Solidariedade, 33; na Secretaria da Juventude, Esportes e Lazer, 30; na Secretaria do Meio Ambiente, são 18; na Secretaria de Finanças, 16; na Secretaria de Comunicação, 9; na Secretaria de Governo são 8; na Secretaria Planejamento, 5; na Secretaria de Obras, 5; na Secretaria de Segurança e Defesa Civil, 5; na Secretaria de Mobilidade Urbana, 4; na Secretaria de Administração, 4; na Secretaria de Habitação, 2; no Patrimônio Público, 2 e no Tiro de Guerra outros 2.

Os selecionados recebem uma bolsa-auxílio de R$ 1.000,00 por mês para realizar serviços administrativos, de limpeza pública, reparos de prédios públicos, conservação de áreas verdes, ajardinamentos de praças, canalização e manutenção de ribeirões e córregos e atividades comunitárias junto à população, além de outros serviços de interesse da Administração Municipal.

A jornada de trabalho é de 35 horas semanais e outras 5 horas devem ser dedicadas a qualificação profissional, por meio de cursos oferecidos pelo próprio programa. Os beneficiários recebem ainda cesta básica (condicionada à assiduidade de no mínimo 90% no programa), têm seguro de acidentes pessoais e recebem vale-transporte. Não há vínculo empregatício.

Fernando Lorenzetti

Jornalista e colunista social. Passou por vários veículos de Imprensa, e atua como profissional de mídia, em redes sociais e no mercado editorial de revista. Por 10 anos assinou a coluna social do jornal Diário do Povo, em Campinas. Trabalhou na revista Metrópole do Correio Popular de Campinas, onde também pilotou o programa de TV " Festa, com Fernando Lorenzetti ", na Band, Rede Bandeirantes de Televisão. O jornalista colaborou com os mais importantes veículos de comunicação do país. Está no Instagran: @lorenzettifernando

Você deve estar logado para comentar Login

Deixe um comentário